top of page

4 TENDÊNCIAS DE ARQUITETURA PARA AMBIENTES DE SAÚDE


Trazemos estas tendências de arquitetura com foco no bem-estar das pessoas, para inspirar você em seus novos projetos ou na reforma do seu espaço de saúde.

 

Todo começo de ano é sempre um ótimo período para se pensar em mudanças e renovações. Sendo uma época propícia para se buscar inspiração para novos projetos e também para reinventar os ambientes de saúde.

A recente pandemia nos fez mudar a forma como utilizamos os espaços e interagimos com eles. Agora, nas tomadas de decisões de projeto, o bem-estar físico e mental das pessoas deve ser priorizado, e não apenas a garantia dos protocolos de higiene esperados e exigidos pela Anvisa.

Uma das melhores maneiras para se inspirar é identificar as tendências de arquitetura que poderão moldar o interior do seu espaço de saúde para torná-lo consistente com as expectativas da sua clientela.

E não estamos falando apenas de estilo. A arquitetura vai além de ser apenas uma questão de estética, ela tem o potencial de criar ambientes produtivos e saudáveis que promovem o bem-estar das pessoas, trazendo resultados positivos para os pacientes e os ajudando no processo de cura.

Compartilhamos aqui algumas tendências e dicas para ajudar você a tornar o seu ambiente de saúde melhor. E sempre há espaço para melhorias visando ao bem-estar dos pacientes e da equipe.

1. Materiais naturais e sustentáveis.

Para criar uma atmosfera de calma e tranquilidade no seu espaço, dê preferência a materiais de revestimento que não agridam o meio ambiente e sejam visualmente naturais como madeira, pedra e tijolos.

A escolha dos materiais deve ser feita de forma cuidadosa, verificando se a fonte dos materiais naturais é responsável ambientalmente e se não há componentes prejudiciais à saúde nos demais materiais empregados, que devem ser atóxicos.

2. Cores neutras e tons de terra

As cores influenciam a percepção do espaço. E o uso de cores neutras e tons de terra causam um impacto positivo nas pessoas, porque dão a sensação de calor percebido que induz ao conforto, conectando-as com a natureza.

Você pode combiná-las com texturas naturais como a da madeira, dos tijolos e da pedra, por exemplo, para reforçar nos seus pacientes a impressão de ambiente calmo e sossegado.

3. Mobiliário

A escolha dos móveis certos para o seu espaço de saúde, também deve ser feita de forma criteriosa, nesta hora considere os seguintes aspectos:

  • segurança para conforto: devem ser firmes e acomodar os diferentes tipos de corpo, estaturas, pesos e idades, garantindo que todos os seus pacientes se sintam confortáveis e bem recebidos;

  • ergonomia para produtividade: devem suportar as diferentes tarefas, garantindo o bom desempenho e eficiência da equipe;

  • durabilidade para economia: devem ser de materiais que resistam a limpeza e desinfecção rigorosa como os impermeáveis (couro, aço inox, alumínio, plástico, etc.) e devem funcionar bem por determinado período de tempo em ótimas condições de uso;

  • alinhamento com o estilo: a estética deve ser coerente com as expectativas de conforto dos seus pacientes, que pode variar do minimalismo ao maximalismo, do rústico ao clássico, para criar confiança no profissional de saúde e proporcionar a experiência desejada pela clientela;

  • versatilidade no uso: devem ter design que possibilitem a flexibilidade para ser usado em diferentes ambientes, com mais funções incorporadas e atender a variedade de procedimentos da sua prática profissional.

4. Conexão com a natureza

A tendência de usar o Design Biofílico ou Biofilia nos interiores de espaços de saúde continua predominante. Estudos comprovam a influência da qualidade calmante da natureza na melhora dos pacientes e na diminuição do tempo para a recuperação dos mesmos. Por isso, deixar a natureza entrar nos ambientes é uma ótima maneira de aproveitar seus benefícios no processo de cura.

As estratégias de aproveitamento da luz do dia e da ventilação natural, usadas para obter ambientes saudáveis, também aumentam a eficiência energética da edificação ao reduzir os custos de energia para iluminação e condicionamento do ar.

A luz solar, por ser dinâmica e suave, com lenta variação de cor e de luminosidade ao longo do dia, é agradável e reconfortante. Deixar a luz natural entrar pelas janelas, de forma controlada, oferece aos pacientes a visão da paisagem exterior e de parte da abóbada celeste, aumentando a sensação de calma e bem-estar.

A qualidade do ar interno também deve ser considerada. A ventilação natural adequada proveniente de janelas e de outras aberturas da edificação ajuda a eliminar os contaminantes internos presentes no ar que respiramos. Estes podem ser microorganismos (fungos e mofo), contaminantes moleculares (alérgenos), CO2 e COVs (Compostos Orgânicos Voláteis), que são invisíveis e inodoros, difíceis de detectar e que causam doenças respiratórias. Nos casos de ambientes sem janelas, comuns em muitos estabelecimentos assistenciais de saúde (EAS), deve-se instalar sistemas de ventilação mecânica dimensionados adequadamente para suprir de ar fresco e eliminar estes poluentes.

Você pode melhorar a experiência espacial da sua clientela de muitas formas: integrando a área externa da sua edificação com jardins ou mesmo colocando nos espaços internos fontes de água e vasos ou floreiras com plantas de fácil cultivo.


São gestos simples que fazem a diferença.

A implementação dessas 4 tendências no seu estabelecimento de saúde trará mudanças significativas e eficazes, que realmente importam para seus pacientes, e vão tornar seu espaço de saúde verdadeiramente curativo.

Estas são algumas de muitas outras tendências de arquitetura para melhorar os espaços de saúde que em breve traremos para você.

Marque uma consulta gratuita conosco e descubra como podemos melhorar o seu espaço de saúde para atingir todo o seu potencial.


55 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarii


bottom of page